No meu iPod

fevereiro 11, 2009

As vezes temos um segundo de sorte e somos sonoramente surpreendidos. Hoje, dirigindo, buscava desordenadamente por uma música decente entre uma estação de rádio e outra. Mas, confesso, estava bem difícil! Me encontrava naquele limite da paciência, já com o dedo coçando para desligar o fluxo de lixo, quando eis que meus ouvidos percebem algo novo.

Uma batida diferente, um castelhano afinado, um refrão grudento. Tirei o dedo do off, aumentei o volume e deixei o som rolar. Não fazia a mínima idéia de quem tocava e, por alguns segundos, desfrutei daquela sensação indescritível de ser arrebatado por um som desconhecido. Pode ser uma viagem particular, mas sou apaixonado por novos sons.

Bandas alternativas fazem a minha cabeça sim. Não sou de gostar muito do que me é oferecido pela atual indústria musical. Cansei do trivial. Faz um tempo que procuro um “algo mais” sonoro. Vez ou outra me jogo nos porões virtuais do mundo, a procura de novas bandas. Talvez seja justamente pelo fato de poucos conhecerem, e de não tocarem muito por aí, que as canções “desconhecidas” me atraem mais. Mas, voltemos ao rádio do meu carro nesta manhã…

Inmigrantes era o nome da banda que embalava meu caminho. Nunca tinha sequer ouvido falar nos caras. Até no Google é difícil achar alguma coisa sobre a banda, que é Argentina. Achei um texto legal sobre os gringos neste link aqui http://www.uol.com.ar/musica/notas/html/200705301214/nota.htm

Cheguei em casa e me dei ao trabalho de baixar o CD deles, chamado Turistas en el Paraíso. 12 canções, a primeira faixa, Graffiti, foi a que me prendeu pelo rádio e é a melhor do álbum. Una chica de ayer, Babilonia e Golpe de suerte também merecem destaque. Essas são as mais dançantes, o resto é mais melancólico. Aí, vai depender do seu gosto, eu geralmente fico com aquelas que me fazem bater o pé!

No mais, nada muuuuuito mirabolante. Uma musiquinha boa de se ouvir e um sotaque novo, que, infelizmente, é raro chegar por aqui. Estive na Argentina ano passado e ouvi muita coisa boa por lá! Pena que não anotei tudo.

Enfim, hoje valeu a pena ligar o rádio, estava com saudades de algo de lá. Além do mais, é sempre bom algo novo para os ouvidos calejados.

 

Um aperitivo…

Anúncios

Pra ver se cola

fevereiro 5, 2009

Fiz uma viagem no tempo. A música me levou. Um toca discos, um vinil do Trem da Alegria e lá estava eu de volta aos meus poucos anos de idade. A capa, bem colorida, ainda estava na memória. Alguns trechos das músicas, não sei como, também permaneceram. Mas, faz tanto tempo… Minha infância parece um lugar tão distante.

Cresci em uma cidade pequena e, por causa disso, fui uma criança “de verdade”. Brinquei de esconde-esconde, amarelinha, comandos em ação, joguei futebol até anoitecer, ralei o joelho de bicicleta, subi em árvores e, também, delas cai. A rua era, praticamente, um parque de diversões. Limitado pelo toque de recolher das mães de plantão.

– Hora de tomar banho!

Minha geração teve infância de verdade! Digo isso, porque sem joelho ralado, sem aventuras homéricas com os amigos e sem salvar todos no esconde-esconde… ser criança pra que? Ou eu cresci, e deixei de ser e ver de verdade as crianças, ou parece que tudo isso se perdeu um pouco. Videogame, computador, TV, celular? Que criança queria saber dessas coisas. A rua estava lá, a nossa espera e não podíamos desapontá-la.

É uma pena saber que isso mudou tanto e que as crianças de hoje parecem cada vez mais adultas. Uma pena que o Trem da Alegria acabou e a trilha musical infantil ficou perdida no tempo. Uma pena ver que a rua não é mais lugar de criança…

Realmente, uma pena…

Ou, será que não? Será que fui eu que cresci, fiquei (quase) adulto e vejo o passado com demasiada nostalgia. Será que as crianças de hoje são mais felizes do que nos éramos? Será?

Lembra?


O que você anda lendo?

janeiro 23, 2009

Primeiro, preciso informar quem le o blog, eu sei que sao poucos até porque sou um blogueiro relaxadissimo, que eu voltei da Itália e estou de volta ao meu lar doce lar chamado casa! Portanto, quem passa aqui e ainda nao veio me visitar pode me ligar e aparecer pra me dar um oi. Se quiser até mostro fotos da trip, que foi o bixo!

Segundo, meu amigo Fernando me passou a tarefa de fazer esse post tipo “corrente”. Nunca gostei muito disso, como ele mesmo, mas ja que ele me colocou nessa e é sobre uma coisa que me interessa. Lá vamos nós! Não esperem muito pois não sou um bom leitor…se é que posso ser chamado de leitor…

1. Livro/autor(a) que marcou sua infância:
Eu não lembro de ter lido nenhum livro oficial quando era uma crianca. Eu só lembro de jogar bola e passar o dia na casa de meus amigos brincando até anoitecer. Mas, li as histórias clássicas: “João e o Pé de Feijão”, “João e Maria”, “Negrinho do pastoreio” e por ai vai! Mais que livros eu li milhares de gibis da Turma da Mônica. Sendo assim, acho que Mauricio de Souza é o autor mais presente na minha infância.

2. Livro/autor(a) que marcou sua adolescência:
Friedrich Nietzsche com certeza é o autor que mais mudou minha cabeça.

3. Autor(a) que mais admira:
Dificil dizer. Leio pouco e gosto de alguns. Nietzsche ja falei, tem o Milan Kundera, Verissimo pai e filho, Mario Quintana. Sei la, são muitos, nao consigo ordenar.

4. Autor(a) contemporâneo:
Bom, vou repetir aqui que gosto muito do Luis Fernando Verissimo. Lembrei também do Zuenir Ventura e do Garcia Marquez, dois que admiro muito. Outro que li e gostei também foi “A menina que roubava livros” do australiano Markus Zusak.

5. Leu e não gostou:

Não sei! Devo ter parado de ler e esquecido o nome do livro.

6. Lê e relê:
Nietzsche e Luis Fernando Verissimo.

7. Manias:
Não tenho ordem na minha leitura. As vezes leio mais de um ao mesmo tempo, as vezes nao leio nenhum e ja parei de ler alguns sem terminar. Não sei se é mania ou defeito, mas eu avisei desde o início que era um péssimo leitor!

Não vou passar a bombinha pra ninguém! Mas quem quiser entrar na brincadeira ta livre pra copiar o post e passar adiante. Se passar por aqui e quiser brincar. Fiquei a vontade!

Gustavo Zonta – que está de volta ao lar…


Domingo de Gala

dezembro 29, 2008

Finalmente vou postar sem ter passado um mes. Que vergonha! Um jornalista recem formado sem assunto. Eh dose heim?!

Acontece…

Bom, quase que eu esqueço de contar aqui a minha estréia no mundo classico. No outro domingo, dia 21, a tia Erica me convidou pra ir ao Teatro aqui em Verona, assistir uma Operetta. Eu, no alto do meu conhecimento teatral, achei que ia ser aquela tragedia pesada que normalmente se interpreta.

Antes de sair de casa, a tia olhou pra mim e disse que eu tinha que colocar uma roupinha mais “bonitinha”: “- Sabe como é Guga, o pessoal vai arrumado aqui, teatro e tals…” . Ja fiz cara feia. “- Começou mal”, pensei. Ai ela se botou na frente do armario e escolheu uma bela camisa pra eu vestir e uma “giaca” estilosa, mas nem tanto. E, la fomos nos…

A peça foi no Tearo Filarmonico de Verona. Soh por ter entrado lah ja valeu a pena! Eh quase um tunel do tempo… Olha a foto ai!

orchestra

“Il paese dei campanelli” ( O pais dos sinos/campainhas, algo do genero ) era o nome da Operetta. Tudo muito colorido, orquestra sinfonica, bailarinos, cantantes. A peça era lindissima! E, pasmem, dei muita risada. Descobri que Operetta sao peças que tratam de temas leves e, geralmente, sao comicas.

Quem diria heim?! Que esse blog um dia iria falar de Operetta. Quase nao acredito.

Foi realmente um Domingo de Gala!

Gustavo Zonta – que acha que prevemente vai postar pra voces de Londres…


Tres meses…

dezembro 20, 2008

Sim amigos! Jah se passaram tres meses desde quando deixei meu Brasil varonil. E, como de costume, é sempre hora de parar pra postar. Que mania feia essa minha de postar uma vez por mes… Grande jornalista eu mesmo!! aff…

Entao, como eu ja havia dito no post anterior, estou soh, eu e meus botoes. Fernando jah sorri feliz no colo de sua amada e de sua “baita” familia. Jah fizeram pizza e tudo por la! Ai ai… saudade…

Tres meses e ca estou eu na “Velha Bota” AINDA procurando emprego. Nada meus acaros amigos! Enviei meu curriculum pra zilhoes de emails, fui em entrevista, fiz  contatos, caminhei por todas ruelas de Verona… BUT, ainda estou desempregado. Mais um jornalista desempregado no mundo. Viva!

Ja tive meus dias de crise, FEIA, mas passou. Sabe quando bate o desespero? Sabe? Aquele? Entao, bateu. Quando voce esta a alguns quilometros longe de casa é levemente pior. Foi tenso! Porem, como veio, tambem foi embora. Agora estou tranquilo, nao se preocupem! E voltei a pensar com calma…

Diante da dificuldade por aqui, estou começando a pensar em ir pra Londres. Estou fazendo contatos e pode ser que aconteça mesmo. Ainda nao tem nada certo, mas estou pensando nisso… Pode ser que lah esteja tao ruim quanto aqui, ou ainda pior. Realmente, nao sei! Mas estou disposto a arriscar…

Se der tudo errado: conheci Londres, o que, pensando bem, nao eh tao mal assim. E, se for assim, acho q o desespero desta vez vai bater na minha carteira:

“Estou vazia meu Senhor, por favor me leve para casa!!”

E com ela nao tem conversa… portanto, pode ser q no carnaval nos encontramos ai!

Que venha o proximo capitulo!

Gustavo Zonta – que dedica este post a mamae Haydée que esta de aniversario hoje… muitas felicidades!!!! grande beijooooooo… amo… saudades…


Dois meses e uma perda…

novembro 19, 2008

Pois é! Hoje faz dois meses que eu e meu amigo Fernando colocamos a mochilinha nas costas e fomos ao aeroporto de Floripa pra cruzar o Atlantico e vir se aventurar aqui na Italia. Deve fazer também um mes, mais ou menos, que eu nao posto aqui, sendo que o ultimo post foi de um mes…

Bom, foram dois baita meses! Fomos a Oktober em Munich, caminhamos 7 horas em Veneza, vimos Bologna, andamos muito toda Verona e passamos duas semanas conhecendo uma nova familia, la em Napoli. Oito semanas inesqueciveis que ja fizeram valer a pena a nossa decisao, um tanto ‘maluca’, de deixar o Brasil.

Pois bem! Meu amigo resolveu voltar… Dia 9 de dezembro o Fernando embarca de volta a Terrinha! Pelo menos fica aqui dia 8 pra bebemorar meu niver. Decisao tomada e apoiada! Vamo que vamo amigo… soh uma pagina da historia de nossas vidas!

A partir dai, dia 9 de dezembro, seremos eu, eu mesmo e meu eu lirico! Claro, meus tios do meu lado dando total apoio e a familia de Napoli pra visitar quando eu puder.

Confesso que queria muito que voce ficasse amigo, ‘BUT’ voce sabe que apoio todas suas decisoes. Entao, soh posso te desejar uma boa viagem de volta e dizer que valeu muito a pena nossa aventura ateh aqui!

Eu fico ateh que meu bolso permitir e a saudade nao me engolir.

Bom postar de novo! Vou tentar postar mais… prometo!

Saudades…. beijo a todos!!!

PS: Parabens de novo Gabi!!!!!!!!! Tudo de bom meu irmao… se cuida… ;*


Um mes

outubro 21, 2008

Um mes na Italia. Agora o tempo passa e a gente nem percebe! Daqui ha pouco serao dois, tres, quatro… pelo menos eu espero que assim seja. Por enquanto, continuamos a saga: “eu quero um emprego”! Agencias, contatos, bate perna. Daqui a pouco alguma coisa aparece. Brasileiro nao desiste nunca mesmo.

Um mes longe de casa, dos amigos, num pais desconhecido, ouvindo e tentando falar uma nova lingua. Soh por isso ja me sinto privilegiado de estar aqui. Posso dizer que a gente aprende muita coisa quando deixa a segurança de casa pra se jogar numa viagem dessas.

Mas também, foi “soh” um mes. Muita coisa ainda deve acontecer.

Esperemos os proximos capitulos!

A presto!

Saudades de todos…

Gustavo Zonta – que fez um mes de Italia…


Veneza

outubro 16, 2008

Existem lugares que todas as pessoas deveriam visitar antes de morrer. Veneza é um desses lugares. Porque voce pode viajar o mundo inteiro e, sinceramente, acho que nao vai ver nada parecido.

Depois de sete horas de caminhada pela romantica cidade Italiana, chegamos a essa conclusao: a palavra que melhor a define é unica! As roupas penduradas, as gondolas, a multidao de turistas…é um lugar magico mesmo!

Se voce tiver um tempinho e conseguir guardar uma grana, por favor nao deixe de visitar Veneza. Sei que nao é assim facil, mas se puder faça isso…

Bom, acho que essas viagens tem despertado mais ainda o meu lado viajante do mundo. Espero que seja soh o começo! Tem tanto pra ver ainda…

saudades sempre

arrivederci!


Oktoberfest – Munich

outubro 6, 2008

Acho que tenho novidades hoje. Voces sabem que na vida a gente tem umas certas vontades e as vezes fala elas por ai neh?! Tipo: “eu quero pular de paraquedas”, “quero visitar paris”, “quero lamber o cotovelo”. Enfim, esse final de semana eu realizei uma dessas vontades. Falei pra algumas pessoas, ai no Brasil ainda, que eu e o fefe iriamos pra Oktoberfest em Munique, jah que estariamos aqui na Italia. Mas eu realmente nem acreditava nessa hipotese. Pois bem, cai do cavalo! Fomos… Que aventura!!

Parecia que tinhamos combinado. Sexta a noite falamos da oktberfest do Brasil e a Tia Erica falou que tinha visto no jornal uma excursao que ia pra festa em Munich, ou Monaco di Baviera para os Italianos. Um telefonema e estavamos incluidos na viagem. 150 euros cada um, com viagem de buso e hotel 3 estrelas incluidos (o que pra mochileiros de albergues como nos é um puta luxo).

8 horas da manha ja estavamos na estrada. Aos poucos a gente foi subindo o pais: Trento, Bolzano. Até deixar a Italia pra entrar na Austria e ver montanhas cobertas de neve. Vales branquinhos com varias casinhas perdidas. Imagens de cinema. Muito lindo! Depois veio a Alemanha, as estradas largas, os carroes. 7 horas de chao e estavamos em Munich.

Arrumamos tudo no hotel e corremos pra rua para ir pra festa. Ai veio uma bela surpresa, os italianos sabiam tanto quanto nos o caminho pra Oktoberfest. Estavamos perdidos com mais uns 20 italianos que, como nos, nao entendiam uma virgula de alemao e mal e mal arrastavam no ingles. Chegamos ao metro e tudo era automatico. Tivemos que rir pra nao chorar. Mas um pouco de ingles e a situacao se acertou. Foi soh pegar o metro e descer 5 estacoes. Estavamos na tao sonhada oktoberfest de munich!

Uma doidera! Um lugar enorme onde rola um monte de atracoes. Na verdade, é bem diferente da festa em Blumenau. Eh um parque de diversoes gigante, com carrinho choque, montanha russa, rosa gigante, onde varias cervejarias montam seus pavilhoes para vender chopp. Passeamos por uma boa parte do parque e procuramos entender o que acontecia. Nada de achar uma barraquinha pra comprar um chopp. Todos os pavilhoes estavam lotados! Filas enormes e nada de espaco pra gente entrar. Ficamos do lado de fora e achamos um lugarzinho pra sentar e tomar um chopp. Foi uma felicidade! Nos sentados no meio de uma galera bem doida, tomando nosso choppinho. Fazia um frio de 6 graus mais ou menos e bebemos 2 litros de chopp cada um ateh anoitecer. Ah, o chopp eh de um litro. Baita festa com gente de todo canto, tinha até alemao.

No outro dia saimos cedo do hotel, pegamos o mesmo metro e nos mandamos pro centro historico. Munich eh realmente uma cidade lindissima. Caminhamos por horas perdidos pelas ruelas. Cada cantinho mais lindo que o outro. Foi uma baita viagem! A segunda de muitas… espero…

(vou postar as fotos da viagem no orkut. obregado.)

Gustavo Zonta – que realizou umas de suas vontades…


Dias sabaticos…

outubro 1, 2008

A distancia de casa começa a produzir efeitos! Soh estou ha uma semana e meia longe da minha antiga vida e a cabeca ja esta a mil. Eh tanta coisa que passa pelo cerebro que as vezes chega a cansar. Planos, reflexoes, planos, reflexoes e mais alguns planos… Acho que nunca pensei tanto na minha vida, e na vida que eu levo, como estou pensando agora! Em tudo, nas escolhas que eu fiz ateh aqui, nas coisas que penso em fazer, na minha familia, nos amigos, nas viagens.

Como eu tenho o costume de refletir sobre a vida na hora que coloco a cabeça no travesseiro, imaginem como anda o meu sono. Dormir ultimamente nao tem sido facil! Quer dizer, dormir nem tanto, mas encontrar o sono… vira de ca, vira de la, e nada! Algumas horas de pensamentos.

Esse post nao eh uma  reclamacao publica. Na verdade, acho que esse eh o grande objetivo de toda essa aventura. Parar um tempo pra pensar na vida! Tem muita gente fazendo isso por ai e chamam de periodo sabatico. Muitos executivos fazem para acabar com o excess de stress. Eles param um certo tempo com a carreira para pensar na vida.

A grande diferenca eh que eu decidi fazer isso antes de ter grana, de ter uma carreira, uma familia e outras tantas obrigacoes. Por isso, meu periodo sabatico provalvelmente vai ser um pouco diferente.

Parafraseando meu amigo Fernando: “espero estar fazendo a coisa certa…”

Gustavo Zonta – que anda pensando muito na vida…